5 passos para contratar monitoramentos ambientais.

November 9, 2016

O final do ano está chegando e junto com ele vem as entregas semestrais de monitoramentos ambientais. Se a sua empresa também precisa cumprir as entregas de auto-monitoramento agora no final do ano, siga os nossos passos e garanta as suas noites tranquilas de sono!

 

Contratar medições ambientais pode ser uma tarefa árdua, afinal de contas, não conseguimos ser especialistas em todas as áreas (resíduos, ruídos, efluentes atmosféricos, efluentes líquidos, vibração e etc). Por isso, é muito comum escutarmos histórias de empresas que contrataram medições faltando parâmetros, sem atender aos requisitos de certificação, ou até mesmo caíram no conto do vigário e contrataram mais do que deveriam.

 

Para que você não faça parte dessa história, criamos um passo a passo que vai prevenir a sua empresa de ser mais um número nessa estatística sombria.

 

 

Passo 1) Entendendo a demanda

 

Sim nós acabamos de dizer que ninguém consegue ser especialista em tudo, mas isso não significa que você não pode entender pelo menos um pouco sobre cada uma das suas demandas. A primeira coisa que você deve fazer quando for contratar um monitoramento, é verificar se a sua empresa já contratou esse serviço antes.

 

Dessa forma, você consegue identificar quantos pontos de medição são feitos usualmente, quais os parâmetros utilizados e qual o método de medição. Claro que se a sua última experiência foi um desastre você não vai querer repeti-la, mas ainda assim, é importante avaliar e verificar quais os pontos que foram errados. Toda experiência é válida!

 

Geralmente as suas demandas de monitoramento estão expressas na sua listagem de condicionantes, é bom também verificar se existe lá uma previsão de quantidade de pontos, parâmetros e etc. Cada monitoramento tem suas particularidades, mas aqui vão algumas dicas para os mais contratados.

 

Ruído  

Para ficar mais fácil e direto, nós criamos um ebook específico para as orientações de ruído, clique aqui e acesse!

 

Efluentes líquidos

Dica 1: Sempre fique atento aos parâmetros exigidos na condicionante, todos eles devem estar no seu orçamento. 

 

Dica 2: É interessante realizar medições de entrada e saída, ou seja, antes da Estação de Tratamento de Efluentes e depois, para que você consiga atestar eficiência do seu tratamento.

 

Dica 2: Existem duas tipologias de amostragem (Simples e Composta), verifique se foi especificado qual amostragem você deve seguir. Para indústrias o mais comum é a amostragem simples, a composta é mais utilizada quando a geração de efluentes é em forma de batelada.

 

Dica 3: Se atente para as unidades dos parâmetros, verifique se estão em acordo com as unidades exigidas por exemplo pelo relatório anual de atividades do Ibama, assim fica mais fácil na hora de entregar a sua declaração de carga poluidora!

 

Efluentes atmosféricos

Dica 1: A medição é sempre realizada no formato triplicata, ou seja, são feitas três medições em cada ponto para chegar ao resultado final.

 

Dica 2: É necessário que a sua chaminé esteja adaptada para a medição, com acesso e plataforma instalado, bem como, com os furos de amostragem já criados. Caso tenha dúvida, clique aqui e saiba mais sobre como proceder. 

 

Caso tenha interesse em saber mais sobre as metodologias e normas de ensaio e medições, entre aqui e veja a coleção de normas técnicas da Cetesb sobre o assunto!

 

Passo 2) Criação do pedido de orçamento

 

 

Você vai precisar elaborar um documento padrão solicitando o orçamento para a medição correto? Então é importante definir alguns itens básicos que vai facilitar muito a sua vida, na hora de solicitar os orçamentos, veja a seguir.

 

 

 

 

Escopo:  Explique nesse item, qual emissão será contratada (ruído, efluente líquido, atmosférico, etc) e qual a norma ou lei que você deseja que seja seguido. Você pode colocar por exemplo, que é para atendimento de condicionante no estado X por exemplo, assim você dá uma dica preciosa para o laboratório já definir melhor o que ele tem que fazer.

 

Quantidade de pontos: Defina quantos pontos serão realizados, assim você consegue comparar melhor seus orçamentos. Importante definir também os tipos de amostragem e no caso de ruído, se será feita medição de ruído ambiente ou não.

 

Certificação 17.025: Solicite que o laboratório encaminhe o certificado da 17.025 atualizado. Tal certificação é exigida em vários estados e garante um certo padrão de qualidade dos laboratórios.

 

Localização das medições: Deixe bem claro a localização das medições, para que os laboratórios possam calcular com precisão a logística. O custo de logística consiste em uma parte considerável dos custos de medição.

 

Dados cadastrais: Apresente já as informações cadastrais da sua empresa, como razão social, cnpj, e etc. Assim os laboratórios já conseguem fazer seu cadastro como cliente.

 

Forma de pagamento: Se a sua empresa possui restrições quanto a forma de pagamento, já deixe isso claro no pedido de orçamento. Lembre-se que maior flexibilidade nesse aspecto pode significar preços melhores.

 

Prazo para entrega do orçamento: Estabeleça um prazo de pelo menos 5 dias para as empresas encaminharem os orçamentos. Evite solicitar orçamentos com urgência, pois você poderá ser sobretaxado por isso.

 

Passo 3) Encontrando os laboratórios

 

Quanto maior o número de orçamentos você conseguir melhor certo? Assim, você aumenta as suas chances de conseguir um bom serviço, com um preço competitivo.

 

Pois bem, para isso você precisar encontrar os laboratórios de medição de uma forma mais eficaz do que simplesmente pesquisar no google.

 

 

Infelizmente nem todos possuem estratégias digitais, site e etc, por isso, recomendamos que você pesquise nos sites das redes metrológicas estaduais e do INMETRO.

 

A Rede Metrológica de Minas Gerais, por exemplo, tem essa seção aqui, exclusiva para os laboratórios de ensaio já certificados, é um bom caminho.

 

Passo 4) Selecionando os laboratórios

 

Bom esse é o passo mais complicado, afinal de contas envolve a seleção do seu fornecedor. Nós utilizamos um método analítico para selecionar o melhor fornecedor, avaliando quesitos técnicos, atendimento ao cliente, preço e experiência.

 

 

É fundamental que você analise sempre essas três condições, pois são elas que vão garantir a melhor experiência possível. Não adianta contratar a melhor equipe, se eles não conseguem cumprir o prazo, responder suas dúvidas ou até mesmo se cobram um preço exorbitante. Por isso é importante que você tente buscar um equilíbrio entre capacidade técnica, atendimento e preço.

 

Além disso é fundamental que você conheça mais sobre a experiência do laboratório, quais os seus clientes atuais e quais serviços já foram feitos. Solicitar um atestado de capacidade técnica pode ser uma boa opção para te ajudar nessa escolha.

 

O preço pode ser negociado se você conseguir oferecer formas melhores de pagamento, como por exemplo pagamento a vista adiantado, ou com um prazo menor do que 30 dias.

 

Além disso, você pode fazer contratos mais longos, envolvendo um maior número de campanhas de medição. Mas lembre-se essa opção é recomendada, somente após você já ter feito algum serviço anterior com o laboratório, pois assim, você terá feito um test drive com aquele fornecedor.

 

Passo 5) Análise e aprendizado

 

Ao final do processo, faça uma análise de tudo que você aprendeu, quais os obstáculos e quais as lições que foram aprendidas, assim a chance de um sucesso ainda maior na próxima contratação é enorme.

 

Ah e não se esqueça de dar um feedback para a empresa que você contratou, pois assim ela poderá ficar ainda melhor.

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Como evitar dificuldades na renovação de licenças ambientais.

October 5, 2016

1/1
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle